.
Contacto |  Iniciar |  Impressum |  Google Translator:      
Águias e pardais !
ÁGUIAS E PARDAIS!


Martinho Júnior | Luanda

Há que nos preocuparmos em que seja feita uma radiografia séria ao processo histórico angolano desde os alvores da independência até hoje, por que nada é linear e a margem de relatividade é muito grande, em muitos aspectos!...

Também não devemos estar à espera que sejam outros a fazer essa radiografia, calando a voz, o engenho e a arte dos intervenientes, calando seus sentimentos, suas afirmações de princípio, suas aspirações de futuro, suas emoções, seu sacrifício e a formação de sua consciência crítica capaz de levar por diante um movimento de libertação com tantas responsabilidades em África, em relação à humanidade e também forjador do respeito devido ao planeta!

É imperdoável que em tempo de revolução das novas tecnologias, estejam tantos angolanos confinados a capacidades que têm sido ultrapassadas no tempo e no espaço, desde a década de 80 do século passado a esta parte e assim remetidos a um silêncio à beira do comprometimento, que deixam para outros a advocacia de suas próprias causas patrióticas, vividas ao longo de pelo menos 4 décadas!

A ausência de tiros por si não é paz, quando os níveis de subdesenvolvimento nos remetem teimosamente para a cauda dos Índices de Desenvolvimento Humano, quando os desequilíbrios sociais, com todas cargas de injustiças sociais tendem a agravar-se, quando até a memória e os ensinamentos do Presidente-fundador, se reduzem à sua poesia, quando ao invés duma consciência crítica capaz de forjar uma cultura de inteligência nacional e patriótica, existe apenas uma visão que não consegue sair dos horizontes viciados das mentalidades formatadas por outros interesses que quantas vezes em nada coincidem com os soberanos interesses e aspirações do povo angolano!...


Na guerra ainda foi admissível a acomodação daqueles que assumiram as trincheiras do movimento de libertação, até por que foi nessa acomodação que foi possível a camaradagem de armas, a mobilização recíproca de vontades, primeiro para se alcançar a independência, depois em defesa da independência, da soberania e do povo angolano...

Mas na paz, ao invés de proliferarem os incomodados, por que a miséria incomoda, a pobreza incomoda, a doença incomoda, a ignorância e o obscurantismo incomodam… as mentalidades formatadas acomodam-se e perdem de vista os horizontes próprios dos que têm muito mais que ver com o futuro do que com o passado!...

Retirar em nome da civilização, espaço e manobra à barbárie implica um enorme esforço de formação da consciência crítica patriótica para que haja energia, força e cultura de inteligência na adopção da lógica com sentido de vida, pelo que jamais será com mentalidades formatadas por outros que haverá capacidade própria para romper caminho face aos desafios do presente e do futuro!

A visão arguta das águias, a partir das alturas, nada tem a ver com a visão rasteira dos pardais!

Comentário de Martinho Júnior, no retorno à Internet - 5 de Outubro de 2018.

Fotos de minha autoria, tiradas a 2 de Dezembro de 2014 ao Pórtico que dá entrada ao espaço da Bandeira Monumento e ao Museu Militar de Angola, (fortaleza de São Miguel), em Luanda.




Fonte : pagina Global
Deixar um comentário
Ponto-final reserva a si o direito de não publicação de comentários que firam os principios da boa convivência .

Que envolvam calúnia , ofensa , multiplicidade de nomes para o mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal.

Somos um espaço público e colectivo , apelamos ao respeito para bem estar de todos nós.





Ponto-Final.net