.
Contacto |  Iniciar |  Impressum |  Google Translator:      
“Com Bolsonaro, o Brasil corre o risco de entrar numa ditadura”, diz investigador
“Com Bolsonaro, o Brasil corre o risco de entrar numa ditadura”, diz investigador


Marcelo Sayao / EPA

O investigador Sergio Denicoli acredita que os brasileiros não iriam ficar impressionados se Jair Bolsonaro sugerisse o encerramento do congresso.

O investigador brasileiro da Universidade do Minho Sergio Denicoli considera que existe uma grande possibilidade de o Brasil entrar numa ditadura e abolir o congresso caso o candidato presidencial da extrema-direita, Jair Bolsonaro, vença as eleições.

“Bolsonaro é um candidato que não está atento às questões partidárias. No próximo congresso, estão-se a desenhar algumas bancadas muito fortes, como a bancada dos militares, que já é uma bancada alinhada a Bolsonaro, a bancada evangélica cristã que também é muito alinhada a ele”, disse Denicoli, em entrevista à Lusa.

“O vice de Bolsonaro (General Mourão) chegou a dizer que seria interessante que houvesse uma constituição de notáveis, que não passasse pelo congresso”. E “todos os discursos são sempre de redução do sistema partidário que é o que sustenta o sistema democrático”, analisou Denicoli.

O investigador considera ainda que os brasileiros “não iriam ficar muito impressionados” caso Bolsonaro propusesse um encerramento do congresso e “talvez até apoiassem” essa decisão devido ao fraco desempenho do congresso brasileiros nos últimos anos.

Caso vença as eleições, o candidato do Partido Social Liberal (PSL) terá garantido um suporte militar, através do apoio das Forças Armadas, suporte económico, com o apoio do agro-negócio, por exemplo, e suporte religioso, com as igrejas evangélicas a prestarem publicamente o seu apoio, como é o caso do Bispo Edir Macedo, lider da Igreja Universal do reino de Deus (IURD).

Para o investigador da Universidade do Minho, o apoio público de Edir Macedo a Bolsonaro pode ter sido um dos grandes motivos para a subida do candidato do PSL nas mais recentes sondagens.

“Edir Macedo é o dono da Igreja Universal e da rede Record. É um grande empresário brasileiro e é um religioso que movimenta muita gente, e quando ele fala que apoia o Bolsonaro ele está simbolizando que todas as pessoas que estão ligadas à estrutura dele podem estar simpáticas à candidatura, e isso tem um peso muito grande” afirmou Denicoli.

Ainda assim, o investigador acredita que esta eleição não ficará resolvida na primeira volta, devido à grande taxa de rejeição que o candidato da extrema-direita obtém (mais de 40%).

Sergio Denicoli afirma ainda que nunca viu uma campanha política tão forte e organizada como a de Bolsonaro. “A militância de Bolsonaro é muito mais ativa do que a militância de qualquer outro candidato.”

“Quando eles viram a possibilidade das ruas serem tomadas por pessoas ligadas o movimento #elenão, eles mobilizaram-se muito rapidamente e conseguira, no domingo, fazer um movimento de apoio ao Bolsonaro. Várias cidades tiveram as ruas tomadas em apoio a esse candidato”, disse o investigador brasileiro.

O movimento #elenão, foi uma manifestação levada a cabo, primeiramente, por mulheres no Facebook, contra o candidato populista. No passado sábado, os protestos passaram para as ruas de todo o país, enquanto que no domingo foi a vez dos apoiantes de Bolsonaro se agruparem em prol do candidato do PSL à presidência brasileira.

A primeira volta das eleições Presidenciais está marcada para dia 7 de outubro, enquanto que a segunda volta decorrerá a 28 deste mês.

// Lusa
Deixar um comentário
Ponto-final reserva a si o direito de não publicação de comentários que firam os principios da boa convivência .

Que envolvam calúnia , ofensa , multiplicidade de nomes para o mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal.

Somos um espaço público e colectivo , apelamos ao respeito para bem estar de todos nós.





Ponto-Final.net