.
Contacto |  Iniciar |  Impressum |  Google Translator:      
Angola parou no tempo e no espaço , diz Felix Miranda
ANGOLA PAROU NO TEMPO E NO ESPAÇO

A MAIORIA DOS ANGOLANOS APLAUDE, EMBORA ESPECTANTE, ENQUANTO AO MESMO TEMPO, OUTROS ATINGIDOS NO CORPO E NA ALMA, EXIGEM REPARAÇÃO PELOS DANOS SOFRIDOS. 'Desabafo de Ricardo António'

Félix MIRANDA
Efectivamente, os angolanos estão apaixonadamente divertidos a aplaudir o desenrolar da Revolução de Veludo cujo único ‘Rambo’ é JOÃO LOURENÇO. Sem dúvidas, em Angola nada mais será como antes.

Contudo, os mesmos tribunais e juízes que condenaram impiedosamente aqueles que no passado ainda recente denunciaram incessantemente os factos que no presente se traduzem em detenções em série e prisões de toda a espécie, hoje são heróis por emitirem ordens de captura e mandados de prisão.

Muitos de nós fomos alvos e vítimas deste mesmo poder que parece fazer justiça popular, finalmente e aqui está a prova, justamente porque o Poder Judiciário nunca foi independente, mas sim agiu terminantemente ao sopro do Poder Político-partidário. Se hoje os intocáveis se transformaram em cidadãos normais, é tudo porque João Lourenço novo Presidente do MPLA assim determina e não porque o Estado Angolano 'que devia ser verdadeiramente 'Republicano' funciona.

De um momento ao outro, Angola virou de patas para o ar e os deuses de 24 horas atrás se transformaram em demónios empestecidos, infestados com todos os tipos de bactérias. Os nomes de DOS SANTOS ou VANDUNENS e outros da anterior Nomenclatura que embelezavam os Bilhetes de Identidade e serviam de Laissez-passer ou Cheque em Branco, já à eles ninguém se quer associar. Passamos a ser normais: João António e Margarida Manuela.

Ontem denunciamos o nepotismo, a oligarquia, o roubo, o peculato, a corrupção, apontamos nomes e designamos todos esses e outros ainda encobertos como impostores, gatunos, homens e mulheres sem Moral pelos danos colaterais provocados (mortes e destruição em cadeia) por estas práticas hediondas. Merecemos em troca represálias que em certa medida destruiram famílias e amputaram o sonho de muitos.

Em editoriais do Jornal Folha 8, alertou-se que Angola não existia como país e que tudo e todos dependiam desses senhores e senhoras, que os bancos estavam vazios e os dinheiros de todos os angolanos estavam em contentores nas quintas e fazendas desses senhores. Chamaram-nos todos os nomes e o Jornal Folha 8 ficou rotulado como Bissemanário Pasquim, difamador e injurioso.

Por essas denuncias e manifestações de repúdio, consideradas como terrorismo contra o Estado, na qualidade de directores, logo responsáveis, fomos chamados a depôr horas e dias na DNIC, quando outros sofreram prisões e viram suas vidas destruídas por esse clamoroso erro do Estado e Governo Angolanos também irreparável.

A QUANDO DA PRISÃO DOS 15+2 (Jovens ditos Revolucionários capturados e acusados de tentativa de Golpe de Estado por estarem a ler o “LIVRO DE DOMINGOS DA CRUZ – FERRAMENTAS PARA DESTRUIR UM DITADOR), o Presidente ABEL CHIVUKUVUKU (24 de Junho de 2015) se constituiu prisioneiro na DNIC do Kilamba Kiaxi durante cerca de 4 horas, tendo denunciado ‘Um Colonialismo Doméstico’.

Na sequência visitou os jovens nas diversas cadeias para protestar contra o abuso de poder e foi considerado como Dirigente Populista e Arruaceiro. RAFAEL MARQUES, WILLIAM TONET e outros activistas e Defensores dos Direitos Humanos foram ultrajados pelo arrojo em atacar de frente os desvarios do dito Estado afinal Predador.

E, hoje o mesmo Estado vai ao encontro da verdade e pretende repor a Justiça a favor do povo (o que todo o mundo aplaude), MAS NÃO SE DIGNA AO MENOS SE RETRATAR E PEDIR DESCULPAS PELOS DANOS CAUSADOS POR AGENTES E JUÍZES ONTEM TAMBÉM CORRUPTOS, EM CONLUIO E CONIVENTES COM O QUE SE ESTAVA A PASSAR.
Deixar um comentário
Ponto-final reserva a si o direito de não publicação de comentários que firam os principios da boa convivência .

Que envolvam calúnia , ofensa , multiplicidade de nomes para o mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal.

Somos um espaço público e colectivo , apelamos ao respeito para bem estar de todos nós.





Ponto-Final.net