.
Contacto |  Iniciar |  Impressum |  Google Translator:      
COMUNICADO DE IMPRENSA

MPLA ESTA A MANIPULAR E A COAGIR ALGUNS INDIVIDUOS DO PROTECTORADO LUNDA TCHOKWE PARA DESTRUIR O MOVIMENTO A TROCO DE RECEBEREM DINHEIROS



A poderosa Polícia Secreta do MPLA; DISA, SINFO actualmente SINSE, equipada com meios sofisticadíssimos, Financeiros e Humanos, cujos especialistas se formaram em muitos países, sobretudo na ex-URSS, Cuba, Israel, ex-RDA, Hungria, Romênia, etc, etc, tem sido uma das máquinas da repressão brutal na destruição de Partidos Políticos, Associações, Organizações Cívicas, Igrejas, Autoridade do Poder Tradicional até empresas privadas que não esteja a favor ou contra o regime ao longo dos últimos 43 anos.



A máquina secreta do regime Angolano é responsável pela desgraça de muito boa gente por diferença de opiniões, por não concordarem com os métodos ou actuação do regime sobre a sociedade.



Milhões e milhões de dólares foram gastos e continuarão a serem gastos para manter a poderosa máquina da repressão brutal a funcionar e a servir interesses da máfia angolana.



A simulação de meliantes ou grupos de marginais para assassinar os oponentes, tornou a estratégia angular para a eliminação física de figuras não agrados para o regime sem deixar rasto.



Enquanto as convenções médicas internacionais proíbem a utilização de medicina como via de execuções e chacina dos opositores políticos ou adversários, em Angola essa prática é frequente a certo ponto as pessoas têm consultas em hospitais públicos, só pelo facto de arriscar-se a mortes por encomendas, O SINSE/SINFO do MPLA, usa hospitais e médicos especializados, para a execução dos actos. Casos inacreditáveis que acontece paciente com simples dores da cabeça e voltaram no caixão.



Os serviços secretos angolanos e a polícia nacional são considerados uns dos melhores de África possuem bons especialistas com capacidade económica para desvendar qualquer mistério quando os políticos do regime assim o quiserem.



Seus agentes agem com métodos da guerra fria, infiltram-se com facilidade no seio das organizações, influenciam pessoas, criam conflitos, jogam grupos contra outros, oferecem dinheiros e prometem fundos e mundos maravilhoso aos distraídos que depois estes mesmos distraídos por falta de discernimento e visão periférica acabam por serem segmentados e encostados.



Os agentes secretos da poderosa máquina do SINSE/SINFO do MPLA impiedosamente, caluniam, desinformam, envenenam Instituições com mentiras para alcançar seus objectivos, mesmo tratando-se de familiares ou amigos, eles destroem para serem promovidos a graus superiores e terem mais benefícios salariais entre outros bens.



A intriga e a luta de poder no seio das instituições pública são culturas para o ganha-pão, dos agentes ao serviço do MPLA, basta ver essa realidade. e é bem notável dentro da própria Instituição do SINSE/SINFO do MPLA, onde não falta golpes baixos para ascenderem-se de cargos e funções.



Qualquer Instituição da Sociedade Civil organizada, quando não tem brigas internas, o SINSE/SINFO do MPLA não se sente a vontade, penetram-na, procuram reféns ideológicos como informadores de tudo quando se passa numa determinada organização político ou da sociedade civil e com promessa de compensações falsas expectativas para melhoria das suas vidas. E quando se sabe que cada oficial no mínimo deve possuir 50 informadores não remunerados apenas subsidiados ou gratificados com míseros trocos insatisfatórios.



Por outro lado, os oportunistas e traidores que, nas Instituições da sociedade civil se oferecem a colaborar com o SINSE/SINFO do MPLA, pensam que agindo desta forma conseguiram colmatar a desgraça, a fome e a miséria que este mesmo regime criou ao longo dos últimos 43 anos da independência de Angola, enganam-se!.. Se na Lunda o SINFO trabalhasse para o bem do povo, o território não seria transformado na ruína que é actualmente; desde 45 anos da invisão e ocupação angolana, nunca o território Lunda, Moxico, Kuando Kubango, conheceu investimento de avultados nas árias social.



O Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe, uma Organização Cívica e Política, com ganhos reconhecidos pelo próprio MPLA e a Comunidade Internacional, com visibilidade inconfundível ao longo dos 12 anos da sua existência pacífica, não podia deixar de ser uma das Instituições sob controlo milimétrico especializado do SINSE/SINFO do MPLA com infiltrados de todo tipo de agentes, espiões de toda a ordem para tentar desordem e a perturbação da coesão do Movimento e da tentativa da criação de alas para silenciar simplesmente a reivindicação e dar fim ao sonho de liberdade do povo Tchokwe.



SINSE/SINFO do MPLA quer fazer com o Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe o mesmo que fazia no passado presente com a FLEC de Cabinda, criou alas e depois dizia que não tenha um interlocutor válido para dialogar.



Por mais que tenhamos sentimentos elevados por alguém, é sabido que nem o rato, nem o gato vão ao óbito do outro ou jantarem na mesma mesa, nem se pode perguntar se o Cão é macho ou fêmea porque anda nu, assim actuam os agentes ao serviço do SINSE/SINFO do MPLA.



Não têm sido fáceis as investidas do SINSE/SINFO do MPLA contra a figura do Líder do Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe Eng.º José Mateus Zecamutchima, todos os dias, é flagelado com todo tipo de calúnias para o atingirem e consumar os objectivos – a tentativa frustrada de convulsão interna de algumas peças obsoletas a muito atiradas ao lixo sem importância nenhuma a quem prometeram fundos, o de forçar mudanças que favoreçam alguns destes traidores ao serviço do regime que se escondem na sombra de certas reivindicações subjectivas, inexistentes cheias de oportunismo e de intrigas desapaixonadas.



SINSE/SINFO MPLA CONTINUA A INFILTRAR ESPIOES NO INTERIOR DO MOVIMENTO, com os seus métodos de corrupção, suborno, aliciamento, manipulação e à instrumentalização de alguns gananciosos e garimpeiros a procura de sobrevivência desesperadamente.



Certas campanhas propagandistas contra a figura do Líder do Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe por elementos afectos ao serviço do SINSE/SINFO do MPLA no seio das populações e jovens, sobretudo, visam em ultima instancia retirar o protagonismo do Movimento e tentarem deitá-lo para a lixeira e acreditarem no “SLOGAN” – “Os Tchokwe só sabem começar e nunca consegue terminar”, é isso que o nosso povo espera de nós? Absolutamente que não, o nosso povo espera mais de nós!





O Movimento do Protectorado Lunda Tchokwe não é uma praça onde cada vendedor faz o que lhe apetece, é uma Instituição que deve ser respeitada por quem quer que seja e considerada a sua Direcção Hierárquica dentro do Estatuto e do Regulamento Interno, não se pode confundir diferenças de opiniões e os distúrbios, vandalismos e desobediências passivas encomendadas por SINSE/SINFO do MPLA com objectivo de simplesmente destruir um processo sério e credível para o estabelecimento da nossa Autodeterminação como Escócia no Reino Unido.



LUANDA, AOS 05 DE Setembro de 2018.-



O Comité Politico do MPLT
Deixar um comentário
Ponto-final reserva a si o direito de não publicação de comentários que firam os principios da boa convivência .

Que envolvam calúnia , ofensa , multiplicidade de nomes para o mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal.

Somos um espaço público e colectivo , apelamos ao respeito para bem estar de todos nós.





Ponto-Final.net