.
Contacto |  Iniciar |  Impressum |  Google Translator:      
UNITA projecta redução governamental
UNITA projecta redução governamental


Isaías Samakuva, candidadto a Presidente da República pela UNITA (imagem de arquivo)

A instituição de um governo com pastas ministeriais não superior a 20 ministros e secretários de Estado, a implementação de reformas nas políticas social, económica e orçamental do Estado constituem prioridades do Programa de Governação da UNITA para os próximos cinco anos, caso vença as eleições.

O programa prevê a fixação do salário mínimo nacional em 83 mil kwanzas.

As pretensões constam do seu programa de governo apresentado esta sexta-feira, em Luanda, pelo líder do partido, Isaías Samakuva, e candidato a Presidente da República, denominado Angola 2030, no qual se projecta uma nova Constituição.

Assente em quatro eixos estratégicos, designadamente “reforma do Estado”, “responsabilidade social do Estado”, “alicerces do desenvolvimento económico” e “medidas de emergência nacional”, o documento é uma visão do futuro a ser materializada por meio de programas e projectos concretos, com objectivos mensuráveis e metas estruturadas e avaliadas em termos de impacto, a curto, médio e longo prazos, de acordo com Samakuva.

Referiu que o programa preconiza resolver os grandes problemas do país em duas vertentes principais, sendo uma de longo prazo, consubstanciada na “agenda da década” e centrada em política e programas estruturantes que visam o alcance de objectivos para a construção da nação, como o resgate da cidadania, a reforma profunda do Estado e a afirmação de nova identidade de Angola no mundo.

A de curto prazo exige imediatamente a materialização do plano de emergência nacional para garantir a estabilidade social e a recuperação económica assente em prioridades definidas.

O documento perspectiva, entre outros, disseminar o desenvolvimento sustentável através da promoção de uma economia ecológica, solidária e competitiva, eficiente em recursos, com elevado nível de emprego, renda e consumo para garantir a coesão social e territorial.

Nas eleições de 2012, a UNITA foi o segundo partido mais votado com 18,7 porcento, elegendo 32 deputados.
Deixar um comentário
Ponto-final reserva a si o direito de não publicação de comentários que firam os principios da boa convivência .

Que envolvam calúnia , ofensa , multiplicidade de nomes para o mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal.

Somos um espaço público e colectivo , apelamos ao respeito para bem estar de todos nós.





Ponto-Final.net