.
Contacto |  Iniciar |  Impressum |  Google Translator:      
Guineenses na Líbia em "situação preocupante".


O Governo da Guiné-Bissau está a tentar fazer regressar ao país centenas de cidadãos que se encontram na Líbia em "situação preocupante". Organização Internacional das Migrações pede segurança para se deslocar ao país.
fonte: DW África

"São centenas (que estão na Líbia), mas o controlo do fluxo é difícil. Todos os que forem identificados e localizados vamos fazer questão de os trazer de volta", afirmou o secretário de Estado das Comunidades da Guiné-Bissau, Dino Seidi.

Segundo o governante, há relatos que chegam que "são preocupantes". O Governo deu poderes ao embaixador guineense na Argélia para ser "interlocutor junto das autoridades líbias para ver se consegue resolver o assunto com a maior brevidade possível".

OIM pede segurança para se deslocar à Líbia

"A Organização Internacional das Migrações (OIM) pediu segurança para se deslocar à Líbiapara ajudar os cidadãos guineenses, mas não temos condições para dar essa garantia", disse.
"Assim, pedimos ao nosso embaixador na Argélia que está a fazer diligências junto das autoridades líbias no sentido de minimizar o sofrimento dos nossos conterrâneos", acrescentou o secretário de Estado das Comunidades.

Pacto Global para a Migração

Dino Seidi falava à agência Lusa à margem de um encontro para debater o Pacto Global para a Migração. O evento, financiado pela União Europeia (UE), pretende recolher as perspetivas e recomendações de diversos atores para definir um quadro global de governação das migrações.

"Nós sendo um país de imigração e emigração temos enquanto Governo de criar políticas para que se faça uma imigração ordenada e segura. Ao longo dos anos, nunca se definiu uma estratégia clara sobre o que queremos, não só em relação à diáspora, como em relação aos que nos procuram", explicou o secretário de Estado.

De acordo com Dino Seidi, as consultas vão dar pistas e elementos para recomendações sobre o que é necessário fazer para melhorar a situação dos migrantes.

"Nós (Guiné-Bissau), não somos elegíveis em termos de rota de migração clássica, mas como temos uma zona insular, que não está controlada há fenómenos que nos alertam para termos políticas consistentes e por isso realizamos esta consulta", disse.

MILHARES DE MIGRANTES ATRAVESSAM NÍGER RUMO À EUROPA
Apoio aos "menos bem sucedidos"

Em Niamey existe um centro de acolhimento da Organização Internacional para as Migrações (OIM). Aqui são acolhidos os jovens "revenants", que não conseguiram atravessar o deserto e se veem obrigados a regressar aos seus países de origem. A OIM, que faz parte do sistema das Nações Unidas, dá-lhes abrigo provisório, alimentação e apoio na obtenção de passaportes e outros documentos.


Fonte : dw.de
Deixar um comentário
Ponto-final reserva a si o direito de não publicação de comentários que firam os principios da boa convivência .

Que envolvam calúnia , ofensa , multiplicidade de nomes para o mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal.

Somos um espaço público e colectivo , apelamos ao respeito para bem estar de todos nós.





Ponto-Final.net