.
Contacto |  Iniciar |  Impressum |  Google Translator:      
“Mundo. Afrika-Mediterrâneo-Povos do Sul
“Mundo. Afrika-Mediterrâneo-Povos do Sul: Papa Francisco do Estado de Vaticano, que "diagnosticou as doenças da Cúria", seja bem vindo a MPUTUKALA- PORTUGAL!

Oiça a nossa Mensagem das Mulheres, Crianças e todos os Povos da África saqueada e escravizada : Exigimos que Revogue: As “Três bulas papais que tiveram grande importância para o futuro das relações entre a Europa e a África.

A primeira, Dum Diversas, foi promulgada em 18 de Junho de 1452, onze anos depois da expedição esclavagista de Antão Gonçalves e Nuno Tristão.

A bula papal Dum Diversas, autorizava o rei de Portugal a: ”atacar, conquistar e submeter Sarracenos, pagãos e outros descrentes inimigos de Cristo; a capturar os seus bens e territórios; a reduzi-los à escravatura perpétua e transferir as suas terras e territórios para o “Rei de Portugal” e para os seus sucessores”; “O novo documento papal mais amplo, e que veio a ser a bula Romanus Pontifex, conferida por Nicolau V em Janeiro de 1455, que autorizaram a escravidão perpétua, o saque dos seus recursos, a violação sexual de mulheres, velhos crianças e jovens, a destruição do seu património, a usurpação do vasto legado na sua diversidade até no Sagrado, impostas aos Povos Negros e seus Descendentes, em todos os territórios do mundo onde se encontravam hoje designados(Ásia, Europa, Oriente, Américas do Norte, do Sul e Latina) e, em África – O Berço do início do Mundo!"

INTERVENÇÃO:

Um APELO URGENTE de EXTREMA IMPORTÂNCIA, para que Justiça seja feita aos POVOS NEGROS (BANTU) - HUMANOS e aos seus DESCENDENTES─ muitos hoje designados de “brancos de segunda”!

O nge Mfumu Falancisco Bergoglio
Exmo Senhor Francisco Bergoglio

Nguvu wa Vati Nkanu kuna Roma(Governador da Voz do Profeta Vaticano em Roma
wa fonga muna nfulu kya Mpetelo - Kanda Dyetu(O Senhor que está sentado na cadeira de Pedro nossa Família)
O Ngeye una ye nguvu wa Nkanu a Vati(O Senhor que tem o governo da Voz da Costela do Profeta(Medium)!
O toma wa esangu za mpaxi minge tuna mau tuka ntangwa zankulu muna kuma ya luyalu lwuenu (Oiça bem as mensagens sobre o muito sofrimento que temos tido por causa do Vosso governo das Vossas leis)!

Mono, Rosa Mayunga Olo, Mwana Kya Kyese wa Nzo a Npwena Muna ya NTotela Mbanza Kongo - Nfulu a Mfumu Ysu Klistu, Nguina vava Mu Nxi a Mputu mu na vwatu a Kerubin mu Salu Ye Luzaysu a Mzambe Wa Npungu, Kilumanavo e Luzolo Lwa Mzambe Sê Dia Mfumu Ysu Klistu Ki luvangama Muna Ngonde yayi, muna luvuvamu ye Ngolo zaonsono ya Mwanda Velela, muna Lusolo!

Eu, Rosa Mayunga Olo Kia Kyese, Filha da Alegria da Casa Grande do Rei do Kongo, em terras de Jseus Cristo, estou aqui nas terras de Portugal como Kerubin ─ Peregrina ─ Missionária da Palavra do Todo Poderoso Deus, para que o Seu desejo, a do Pai de Jesus Cristo, seja realizado neste século, na Paz, com todo o Poder do Espírito Santo, no Amor!

Eu sou aquela que viajou milhas, para hoje estar aqui neste dia, sou aquela que interrompeu sonos tranquilos e que ao longo de anos escreveu estas linhas na Alma, aguardando o tempo de serem manifestas porque em mim pesa a responsabilidade moral, ética ─ humanas dos Povos os primeiros construtores da Humanidade que ao longo de mais de 2016 anos e cinco meses, aguardam que se faça justiça e, neste sentido, Solicita-se a quem por Direito que Revogue as “BULAS ─ e todas as Concordatas do passado e os mais recentes, citando: Tinhorão, José (1998:93) “Os Negros em Portugal uma Presença Silenciosa”; Sousa, Mário (1997)“Para a história do comércio europeu de escravos de África”; Kiesse/Olo(2016“Salalé Três Três Os Reis do Kongo”

“Três bulas papais tiveram grande importância para o futuro das relações entre a Europa e a África. A primeira, Dum Diversas, foi promulgada em 18 de Junho de 1452, onze anos depois da expedição esclavagista de Antão Gonçalves e Nuno Tristão.

A bula papal Dum Diversas, autorizava o rei de Portugal a: ”atacar, conquistar e submeter Sarracenos, pagãos e outros descrentes inimigos de Cristo; a capturar os seus bens e territórios; a reduzi-los à escravatura perpétua e transferir as suas terras e territórios para o “Rei de Portugal” e para os seus sucessores”; “O novo documento papal mais amplo, e que veio a ser a bula Romanus Pontifex, conferida por Nicolau V em Janeiro de 1455, que autorizaram a escravidão perpétua, o saque dos seus recursos, a violação sexual de mulheres, velhos crianças e jovens, a destruição do seu património, a usurpação do vasto legado na sua diversidade até no Sagrado, impostas aos Povos Negros e seus Descendentes, em todos os territórios do mundo onde se encontravam hoje designados(Ásia, Europa, Oriente, Américas do Norte, do Sul e Latina) e, em África – O Berço do início do Mundo!

EXIGE-SE O FIM, A ANULAÇÃO DAS BULAS PERPETUAS DA ESCRAVATURA! A LIBERTAÇÃO DE TODOS OS OPRIMIDOS!
Os Angolanos e os Povos de Afrika exigem a ANULAÇÃO destas BULAS PERPETUAS DA ESCRAVATURA, que é outro modo da continuidade das práticas da INQUISIÇÃO em pleno século XXI!

O VATICANO ao não ter-se pronunciado sobre a anulação destas BULAS permite a existência de governos europeus, ocidentais e suas empresas, que parecem legitimados e incentivados a continuarem o saque de recursos, e a escravatura contra os Povos de Angola e de Afrika.

As Mulheres de Afrika, as Crianças, os Jovens e todos os seus Povos, solicitam aos Representantes da Entidade e Governo que as Instituiu, que as anule, e que os todos os Povos e Governos do Mundo, tomem conhecimento do acto.
Exigimos o respeito pelos Direitos Soberanos e Humanos de todos os Povos de Afrika na sua diversidade racial e cultural. Queremos acreditar na dedicação do actual Nguvu wa Vati Nkanu kuna Roma ─ O Governador da Casa da Voz do Profeta Vaticano em Roma- Mfumu Francisco, em nome da Palavra de Yave e do Amor de Jesus Cristo, o Redentor e, se assim o é Fizer estará e citando, Josias, Melo: “O Segredo de Deus. Jesus o Africano” “a semelhança do Rei Ciro da Pérsia ao cumprir o oráculo do Deus Vivo sobre a Libertação das Tribos do Sul-Povos de Israel os Hebreus originais de África ao fim de 80 anos de deportação acontecimento” e, registado nos escritos Sagrados pelos nossos antepassados:(Isaías 45:1; 13 e Esdras 1:1-4).

John Iliffe(1999) “Os Africanos ─ história dum continente” “Os africanos foram e continuam a ser os sertanejos que colonizaram uma região do mundo particularmente hostil, a bem de toda a raça humana[...].
A Estes Povos JUSTOS e SOLIDÁRIOS, deve-se a EVOLUÇÃO da HUMANIDADE e toda a sua Sustentabilidade, merecemos o reconhecimento, o respeito de todos os Povos do mundo, Governos ─ Políticos ─ Raças e Nações, pois se um dia o Negro desaparecer da face da terra também ela deixa de existir, tal como a “feitura de bolo requer um fermento para o seu desenvolvimento, também assim a Humanidade o exige e o fermento da Terra são os primeiros Povos que o povoaram e que permitiram que a sua melanina(negritude) permitisse que a actual diversidade existisse!
OBJECTIVOS:

A Regeneração e a Devolução da Dignidade dos Povos Africanos na sua diversidade, para o Equilíbrio Espiritual e, Desenvolvimento Material Sustentável dos mesmos , de todos os Povos oprimidos e de toda a Humanidade e sua Biodiversiddade. O reequilíbrio da Humanidade e da sua Paz, sem a qual não haverá desenvolvimento, mas sim a estagnação, a intensificação de conflitos e a instalação do caos ─ da desumanização sem precedentes, pois este é um dos principais objectivos de quem ao longo de séculos tem recriando conflitos bélicos, manipulado governos, praticando genocídios silenciosamente, para que a estrutura de sensibilidade espiritual que é base da Humanidade desapareça, pois tais seres que surgiram tardiamente na cena do mundo parecem conviver bem com conflitos, destruição e o sofrimento do próximo desde que o seu espaço esteja salvaguardado, daí que criam todo mal fora dos seus territórios. Sendo que os afectados são sempre os mesmos os Países e Povos do Sul!

“VOCÊ, VAI APRENDER A AMAR A AFRIKA, PARA SE SARAR”

Mayunga/Kiesse/Olo(2016-126)

“Esta nossa Afrika arco-iris, há muito tem dito ao mundo, que é a força do futuro da humanidade, a diversidade cultural e étnica vive nela e vive feliz. Somos todos, sangue do seu sangue, o seu amor é maior do que o ódio, mais forte do que a inveja e mais resistente do que a indiferença, por isso, a Afrika é vencedora!
Você, vai tratar de respeitá-la, não tarda!

Você, vai ter de a querer bem, porque ela Ama-te.
Você, vai aprender a amar a Afrika, para se sarar para ser um verdadeiro
ser humano!

Você vai sentir esta necessidade de um dia ser humano em todas as vertentes!”
Mfumu Nguvu wa Vati Nkanu Wa Vwanda Muna Nfulu Kia Tata(Papa- Nkuluntu) - yetu Mpetelo Wa Kanda a Mwana a Mbanza Nkonsi Mu Afrika

Senhor Governador da Casa da Voz do Profeta(Medium) que te sentaste no lugar de Pedro nosso (Pai ─ Mais Velho), Filho do Grande Reino com Sede nas terras do Reino dos Filhos e Filhas de Leão em África:

Afianço-lhe, que é com o coração e o corpo quebrantados, que dirijo estas palavras, cheia da Força do Espírito Santo, mas que o faço conscientemente e com toda a convicção aguardando, que a nossa solicitação se cumpra.
Nós, os descendentes de todos os mártires africanos que povoaram este mundo desde a sua fundação, exigimos que o nosso pedido se cumpra neste século XXI e neste ano do milénio de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Que Vossa Excelência Representante Máximo do Estado do Vaticano anule ou mande anular tudo que tem dificultado o desenvolvimento de África e o Bem estar dos seus Povos em nome da Paz e da harmonia Mundial!

A Não Revogação de tais documentos entenderemos como a autorização da continuidade da legitimação de todos os ex- esclavagistas coloniais, hoje neocolonialistas, a continuarem a saquear os recursos dos Povos africanos em África e em todo o mundo, cujo espólio ali criado e usurpado têm sido fontes de rendimentos sem que os Povos que os criaram e seus descendentes tenham qualquer direito sobre eles!

Exigimos pois em nome de Mzambe ─ Jeová ─Yave(Deus)Todo Poderoso e, do nosso Irmão Ysu Klisto(Jesus o Cristo Africano) que padeceu os mesmos horrores e perseguições por ser um Homem justo e, pelo poder económico da sua Família! A mudança para o bem está nas suas Mãos Senhor Governador do Estado do Vaticano “Papa” Francisco tal como esteve a decisão da escravatura no domínio do Estado que Representa ao autorizar os governos bárbaros impostos no trono em Portugal.

Não me alongarei e vou directamente ao assunto apelando entretanto para a reflexão deste breve trecho:
John Iliffe(1999) “Os Africanos ─ história dum continente” “Os africanos foram e continuam a ser os sertanejos que colonizaramn uma região do mundo particularmente hostil, a bem de toda a raça humana[...].

Por tudo que já disse e, por existirem direitos legais consuetudinários, de consanguinidade, naturalidade e de nacionalidade de todo um legado patrimonial que nós sabemos existirem e que estão devidamente documentados e que foram usurpados em benefício de alguns Povos, prejudicando os seus reais donos que são os Negros e seus descendentes, hoje com uma diversidde fenotípica também (branqueados), mas que todavia, preservam os costumes da sua identidade( Povos Ban tu Tronco ─ que encabeçam outros).

Provérbio Malauí: “São as pessoas que fazem o mundo; o mato tem feridas e cicatrizes. Por isso, o coração do passado africano é constituído pela história de um único povo que une os primeiros seres humanos aos seus descendentes vivos.”

Ouvimos com frequência na imprensa nacional e internacional relatos sobre as homenagens, denúncias, reconhecimento, pedidos de desculpas de governos e de entidades religiosas aos Povos ocidentais e europeus violentados por sistemas opressores─fascistas ─ terroristas, sobre as barbáries dos Povos do Norte que trouxeram a guerra para os Países do sul-África e Mediterrâneo, tal como as práticas da inquisição de Roma, o fascismo de Hitler, de Salazar e todos os outros.

Ouvimos apelos de governantes em Portugal em conferências sobre a Paz, onde dizem reunir representantes de várias religiões e grupos sociais e que falam dos Direitos Humanos, da integração de estrangeiros e minorias em Portugal, criticando por vezes quem não os cumpre, mas na verdade o que temos ouvido, observado e vivido não é o reconhecimento, o pedido de desculpas, a integração ou representação multiétnica e rácica, no mundo e em especial em Portugal!

Observamos sim a indiferença pelos Povos Negros os primeiros a sofrerem os crimes contra a humanidade, fora do Continente africano e dentro dele!

Também não ouvimos sequer alguém político ou governante ou líder religioso a denunciar publicamente o que aconteceu aos Negros em todo o mundo ou que pedissem desculpas aos mesmos e seus descendentes.

O mais grave é que o País a quem os africanos mais esperavam que fizesse algo em prol da defesa dos direitos humanos em vários domínios, no sentido de alterar tal situação colonial imposta com a independência total dos Povos oprimidos, nada fez, antes pelo contrário, os sucessivos governos de Portugal e a maioria dos seus políticos tudo fizeram, para que a África se mantivesse escrava e, dependente economicamente, dos mesmos “piratas” que no passado servindo-se de Portugal, roubaram, destruíram e continuam a praticar diversos genocídios hoje com outros contornos, a começar por Angola, Kongo Kinsaha, África do Sul, Etiópia, Sudão, Nigéria, Camarões, Ruanda!

A implantação do horrendo evento “científico” da Europa e do Ocidente que é (Apartheid) ou “racismo científico europeu” e a Eugenia, subscrito por “cientistas” ignorantes que sem qualquer conhecimento da história dos Povos e do Continente Africano, resolveram escrever e a praticar barbaridades, ajudando os seus governos bárbaros e assassinos a documentarem-se com feitos “científicos” anti-humanos para justificarem os vários e sucessivos genocídios contra os Povos Bantu ─ Humanos de África!

E este estatuto retirado da Eugenia em que os povos após de branqueados nos caracteres, mentalidades com a ajuda da sonegação do seu passado, parece ter surtido nas mentes um efeito devastador, pois alguns destes netos(as) e filhos(as) de Negras passaram a achar-se melhores e mais seres humanos que os outros que não tinham o seu tom de pele e, ensinados mesmo pelos regimes a não socializarem-se com os negros, a tratá-los como animais e a não casar com eles(as).

Passados quase 500 anos, infelizmente hoje ainda há quem pense assim e não estou a falar só dos Países Europeus do Norte, mas também os do Ocidente que na sua maioria desconhece a verdadeira história dos Povos originais dos Países que ocuparam, tal como os brancos dos Estados Unidos da América, que ignoram que tiveram vários Presidentes Negros antes dos mais recentes, tal como eram Negras as Monarquias da Inglaterra e de toda a Europa, antes do saque dos “piratas” hoje designados de “Nobres – piratas Esclavagistas”, que esconderam até das novas gerações a verdade da sua história ensinando uma falsa!

O resultado é o que está a vista de todos, o mal estar global, as migrações dos Povos para os Países onde os seus antepassados viveram e que são barrados pelos ditos “desenvolvidos” que só o são por se terem apoderado com a força das armas e de genocídios, o que era alheio, mas desavergonhadamente não reconhecem quem lhes mantém a sustentabilidade que continua sendo os Países de Base dos primeiros Povos que povoaram as terras hoje ditas “Países desenvolvidos” uma vez que só alguns dos Povos do Sul lá podiam viver e foi assim durante séculos uma vez que ninguém mais a não ser “branco” e em especial do Norte tinha direitos sociais, mudando apenas quando começaram a necessitar de Povos para os escravizar uma vez que os restantes já os tinham dizimado a medida que se ia esgotando as suas capacidades de trabalho!

Pois os piratas-bárbaros que achavam que fazendo guerras, matando os corpos e usurpando a herança alheia que ficariam em Paz eternamente, enganaram-se pois matam-se os corpos mas o Espírito mantém bem vivo, permitindo-se dar continuidade do que começou e até de fazer cobranças exigindo que justiça seja feita!

O ofício da “Eugenia, a troca dos nomes tradicionais das famílias em todo o Mediterrâneo, especialmente em Portugal e África, onde os Reinos Negros da África subsariana que governaram Portugal, passaram a ter outros nomes, tudo com o objectivo para que as futuras gerações e os seus descendentes não soubessem do passado, nem das heranças por eles deixadas e assim não exigissem direitos consuetudinários, uma vez que não sabiam a sua verdadeira identidade, porque se assim não fosse estariam há muito os piratas e criminosos(hoje intitulados nobres e burgeses) a serem cobrados pelas melhores terras produtivas de vinhos e alimentos em Portugal e em África e no resto do mundo que dizem ser “donos”, coisa vergonhosa “gatunos e saqueadores” são os nomes que se dão a quem usurpa o que não lhe pertence pela força de armas e da corrupção e manipulação mental! Pois o conhecimento dos Povos da verdade do seu passado retira qualquer legitimidade de manterem aquilo que usurparam e daí que os governos actuais continuam a esconder dos mais jovens a verdadeira História, já que o fizeram ao longo dos 3 (três)séculos!

A verdade pode tardar mas não falha, Jesus Cristo o disse: João 8:1- “Conhecereis a verdade e ela vos Libertará”!
E é chegada a hora da verdade espiritual, aquela que não pode ser barrada pelo homem nem por qualquer Poder, só a Natureza da Omnipotência tem Poder sobre todos e todas as coisas!

E estamos precisamente nesta fase do reconhecimento das coisas tal qual elas eram e deviam ser: “face a face” citando os Escritos Sagrados Herdados dos nossos antepassados Hebreus de África:

1Coríntios:13 “Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.” ─ (Isto é: “como também sou plenamente conhecido” ─ material e espiritualmente)

E isto irá certamente acontecer, pois os usurpadores ao pensarem que enganariam os africanos ao criarem certas organizações e Leis, regulando a vida dos Povos e exigindo a outros que os subscrevessem, ficaram também eles “amarrados”, pois os crimes por eles praticados não subscrevem, e as Leis que criaram dita isso mesmo: “Crimes contra a Humanidade não prescrevem” e por isso mesmo, os violentados e suas futuras gerações(descendentes) têm não só o Direito, mas a obrigação e o dever moral, de exigir que sejam cobrados e que estas leis sejam postas em prática a bem de toda a Humanidade fazendo-se justiça!

Hebreus (4:12-13) “Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração.”

E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem temos de prestar contas.”
http://biblia.com.br/joaoferreiraalmeidarevistaatualizada/…/

As barbaridades promovidas por governos coloniais e alguns dos seus cientistas contra os Povos Negros, são a demonstração de que não se tratam de seres humanos, mas seres de outra natureza qualquer, porque conforme nos relata a História do passado, e do presente mostrando factos de que em tão pouco tempo dizimaram, destruíram a humanidade e seus Povos e, mesmo depois de séculos de destruição ainda não estão satisfeitos, continuam a promover guerras, a fabricarem materiais de guerra cada vez mais letais e parece que se enfurecem contra outros Países que também “se acham no direito de criar armas para se defenderem!”
Todos eles só pensam em guerras, em armarem-se mais para roubarem melhor!

E infelizmente, alguns Países de África estão a seguir esta ordem de actuações investindo mais em armamento do que na educação e formação dos seus Povos, dando-lhes a possibilidade de obterem conhecimento e legitimidade de defenderem o seu património entre eles as suas Línguas nacionais, ao invés disso, estão a perder tempo a gastar dinheiro em armas e a usarem as mesmas para matarem os seus povos Soberanos enquanto os colonizadores que vendem os “matraquilos da desgraça que são todos os tipos de as armas, riem-se da ignorância dos políticos e governantes africanos que assim o praticam, pois não entendem como se lutou contra o fascismo para serem independentes, mas que continuam a aumentar o património económico dos colonos comprando o que não presta e o que destrói os seus Povos, matando assim o desenvolvimento de África!

É verdade que a guerra suscita guerras, quem a iniciou tem a obrigação de parar e não tem o direito de invadir Países Soberanos para saquearem e imporem as suas regras, como se fossem donos do mundo!

Parece que toda a violência reinante neste mundo doente, foi iniciada por alguém, que gera frutos de imposições, ambição desmedida e de falta de humanismo! Compete assim aos governos e políticos que respeitem os seus Povos, não seguirem os passos dos governos padecedores de ódios e que segundo veicula a imprensa nacional e internacional “andam a procura de “Extra-terrestres”, faz lembrar “o cão” quando anda a volta da sua própria cauda querendo pegar-lhe, ora os actos destes indivíduos que chegaram tardiamente a humanidade e que só têm praticado actos de terror e alegam que os outros Povos é que são o terror, parece que só podem ser eles mesmos os “extra-terrestres” pois tudo o que fazem não é compatível com a vida humana nem com o que é necessário para a o desenvolvimento da humanidade!

E segundo se sabe são os que mais gastam no mundo alimentos, água e energia, talvez daí a necessidade aberrante de fomentarem guerras parecendo ser o seu melhor Banco para os Fundos de que precisam, os outros bancos também por eles criados(Banco mundial, FMI, Banco Europeu, entre outros servem todos aos mesmos objectivos definhar Soberanias dos Povos do Sul, para manterem o seu domínio.

Basta para isso fazermos uma reflexão sobre o passado e realidades políticas, económicas e sociais, dos Paises da América(Norte e Sul)-Ásia, África e agora o Mediterrâneo(porque entretanto deixaram de ter o domínio dos Países colonizados) para ver como estas estruturas anti-humanas funcionam e se ninguém os para parecem mesmo acabar com a Humanidade. Este não é o desejo de Mzambe ─ Deus é maior e não permitirá que a "demoniocracia", com a falsa de ser Democracia, vença!

Talvez seja por isso que estes seres apostam cada vez mais no que é mecânico, “inteligência artificial”, preocupados em fabricarem braços e pernas artificiais, não para ajudarem quem por motivos de saúde se vê na necessidade de as usar, mas fazem-no no intuito de substituição em consequência da guerra, ao invés de apostarem na preservação da biodiversidade pelo o respeito do ser humano, evitando expô-los em situações de guerras onde podem sair fragmentados!

Esta mente de seres destruidores que está a tentar minar os Povos e Governos em todo o mundo, com o intuito de imporem uma “nova e grande desordem mundial” onde só funciona o que eles ditam nas organizações oportunamente pensadas para o efeito, criando uma “nova forma de escravatura” limitando o exercício da cidadania na diversidade, do respeito pelas Identidades de cada Povos, deve fazer-nos reflectir sobre o que o mais antigo “Revolucionário” O Jesus Cristo Africano o disse como alerta, já a pensar nas futuras gerações que somos nós:
Mateus 7: 16-17- “Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos?

O mais grave e o que me entristece profundamente e certamente muitos dos Irmãos(as)africanos(as) que conhecem a verdadeira História de Portugal, que sendo o País a quem os africanos mais esperavam que fizesse algo mais humano, em vários domínios, no sentido de alterar e evitar a continuidade de situações que levam ao subdesenvolvimento da África e também de Portugal,( que continua sendo considerado o País mais “pobre e pequeno” da Europa e ponto para entrada em África da colonização e neocolonização) quando na verdade é maior territorialmente que certos Países da Europa e mais rico que muitos deles) apenas o dizendo para humilhar os seus Povos porque parece que os governantes pouco se importam(ganham bem e a fazerem tão pouco pelos Povos, já em relação a introdução colonial e neocolonial em África, isto é verdade, todos os entendidos e justos sabem bem disso!

Os sucessivos governos de Portugal nada fez e parecem não demonstrar interesse em fazer de forma a dignificarem a África que sempre os alimentou em todos os contextos, em especial Angola, nem mesmo aos actuais Povos de Portugal, porque ao manterem escondida a verdade sobre as suas famílias, nomes e o valor das sua Identidade, estarão a compactuar com a neocolonização!

Acredito que o Papa Francisco tem elucidado os governos de Portugal, para a mudança de comportamentos na sua governação, mas o que parece pouco entendido, aproveitando os políticos mais para “o folclore político” e não para o verdadeiro sentido da mensagem!

É triste dizer mas é verdade, os sucessivos governos de Portugal e a maioria dos seus políticos, tudo fizeram para que a África se mantivesse escrava e dependente económicamente dos mesmos que no passado servindo-se de Portugal roubaram, destruíram e praticaram diversos genocídios a começar por Angola, Kongo Kinsaha, África do Sul com a implantação do horrendo evento “científico” da Europa e do Ocidente que é o racismo( apartheid).

Teorias e conceitos escritos por “cientistas” ignorantes, racistas, que sem qualquer conhecimento da verdadeira história dos Povos e do Continente Africano, resolveram escrever barbaridades, ajudando os seus governos e políticos e assassinos a documentarem-se com feitos científicos anti-humanos, para assim justificarem os vários e sucessivos genocídios, maus tratos, utilizando os corpos de homens, mulheres e crianças para trabalho forçado, violando as regras da ética e moral dos Povos Bantu-Humanos de África ─ (Raúl Altuna; Adam Hochschild; Michel Foucault; Tinhorão, Mayunga, Kiesse/Olo), entre outros investigadores, Estadistas do passado denunciam isto mesmo!

Em portugal até foi criado um estatuto especial para os “bem clareados” designados por “brancos de primeira” e os menos clariados os de segunda e assimilados, que entretanto foram enviados para a África para “salvaguardarem” o desenvolvimento do saque a favor dos bárbaros e alguns assimilados do sistema, onde morreram muitos dos filhos de Portugal.

Sem que a maioria soubesse o que estaria por trás da sua ida a Angola em serviço civil ou na “dita guerra do ultramar contra os terroristas-infiéis Mouros ou Negros” que afinal eram donos Soberanos do Continente em África e também de Mputukala(Portugália-Portugal) e outros locais do Mediterrâneo cujos actuais representantes que se apoderaram do património e dos nomes de que dizem ser detentores, desconhecem os significados dos mesmos nomes e até de que a Sede do Reino de Leão é em África em terras do Reino do Kongo!

O desconhecimento de estes factos e de que os primeiros Povos a povoarem Portugal, foram os Egípcios(saídos da África a Sul do Sahara), só vem confirmar toda a mentira e plágio de todo o património usurpado aos Povos que aqui habitaram e confirma também o medo que têm tido em integrar condignamente os Negros e seus descendentes pensando precisamente nos direitos que os mesmos têm e que tem sido negado levando-os mais uma vez a marginalização e ao trabalho escravo! (...)”

EXIGE-SE O FIM, A ANULAÇÃO DAS BULAS PERPETUAS DA ESCRAVATURA! A LIBERTAÇÃO DE TODOS OS OPRIMIDOS!
Os Angolanos e os Povos de Afrika exigem a ANULAÇÃO destas BULAS PERPETUAS DA ESCRAVATURA, que é outro modo da continuidade das práticas da INQUISIÇÃO em pleno século XXI!

O VATICANO ao não ter-se pronunciado sobre a anulação destas BULAS permite a existência de governos europeus, ocidentais e suas empresas, que parecem legitimados e incentivados a continuarem o saque de recursos, e a escravatura contra os Povos de Angola e de Afrika.

As Mulheres de Afrika, as Crianças, os Jovens e todos os seus Povos, solicitam aos Representantes da Entidade e Governo que as Instituiu, que as anule, e que os todos os Povos e Governos do Mundo, tomem conhecimento do acto.

Esta imagem é de Angolanos no seu País quando a Europa e o Ocidente cometeram o primeiro Crime contra a Humanidade!

“Mundo. Afrika-Mediterrâneo-Povos do Sul: Papa Francisco do Estado de Vaticano, que "diagnosticou as...
Deixar um comentário
Ponto-final reserva a si o direito de não publicação de comentários que firam os principios da boa convivência .

Que envolvam calúnia , ofensa , multiplicidade de nomes para o mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal.

Somos um espaço público e colectivo , apelamos ao respeito para bem estar de todos nós.





Ponto-Final.net