.
Contacto |  Iniciar |  Impressum |  Google Translator:      
Dumilde das Chagas Rangel ( Nambi ) um brutal que quase nos regou com gasolina ?
DUMILDE DAS CHAGAS RANGEL ( NAMBI ) UM BRUTAL QUE QUASE NOS REGOU COM GASOLINA ?

( Este homem na foto )

Entre tanta gente que depois dos acontecimentos do dia 27 de Maio de 1977 que tiveram um comportamento tipo camaleão que se faziam passar por peixe pungo , se tornando tão brutais o Dumilde Chagas Rangel ( Nambi ) um benguelense de quem ainda não se publicou tudo que se conhece do mesmo , é para mim o de mais difícil de se traçar ou seja desenhar o seu perfil.

O homem tinha várias facetas que tentava camuflar á todo custo aconselhado pelas circunstancias , o que nunca conseguiu fazer com grande perfeição se calhar quem sabe sofria de alguma perturbação ?

Era meu mais velho quando o conheci na viagem de Luanda á Cabinda pelo navio kalua de onde seguimos depois para o ( CIR ) Belize ( 1974/75 ) em companhia do Rasgado , Carlota , Bessa , Borges e outros tantos recolhidos da delegação da Vila Alice como recrutas.

Ele estava muito ligado ao também mais velho Rasgado e a Carlota uma mulata tão esbelta , creio também benguelense da sua velha relação amistosa pelo que me pareceu dado as conversas entre eles ao longo da viagem.

Mas este é outro assunto e para outros textos , pois o que pretendo falar hoje é da brutalidade deste homem no campo de concentração do Tari na kibala , onde de detido passou a fazer parte das chefias com Mateta , Lopo Loureiro e uns tantos kapangas semi analfabetos que nos queriam reeducar diziam eles , que ainda estou para saber quem , como e onde os recrutavam.

Muito embora não é ainda neste texto que vou apresentar a lista nominal dos assassinos de quem ainda não se escreveu nada ou muito pouco , não estaria ser justo se não mencionasse este senhor como um dos grandes brutais por aquilo que nos fez passar no campo de concentração do Tari na Kibala.

Pois não são poucas as vezes que me pergunto á mim mesmo , como é que ele não me mandou matar , por tudo quanto passei nas suas mãos num campo onde se entrava e nunca se sabia se sairíamos vivos e desaparecia muita gente.

Como se não bastasse a fama que fez circular por todo campo como um dos maiores agitadores eu e o Binocas um jovem antigo sargento da FNLA ainda assim , me tinha posto numa cela por 15 onde sai de lá quase cego porque os dias eram tão escuros como as noites , não entrava o mínimo de raio solar , o chão duro e frio era a minha cama.

Um dia destes Dumilde trazendo consigo uma lista mandou formar os quase ( 300 ? ) homens que se encontravam detidos naquele campo na altura e começou á chamar um por um e nos separando um dos outros o que desconfiamos de imediato que havia um plano macabro contra nós.

Meu nome constava desta lista do mais velho Mateus Morais de Brito Júnior , Binocas , Manuelito Kuango , Costa Dambi , Rui , Paulo King Junior e tantos outros sendo grande parte do processo fraccionismo numa altura em que se falava da existência de mais uma vala comum num campo daqueles ja em si , com tantas valas comum nem por isso secretas , onde seriamos queimados.

Por sorte , Deus estava connosco ou quem sabe por ordens superiores de ultima hora lá nos livramos daquilo que seria como tudo apontava como a nossa morte certa , pois todos os dias cada um de nós esperava pela sua vez .

Fórum Livre Opinião & Justiça

Fernando Vumby
Deixar um comentário
Ponto-final reserva a si o direito de não publicação de comentários que firam os principios da boa convivência .

Que envolvam calúnia , ofensa , multiplicidade de nomes para o mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal.

Somos um espaço público e colectivo , apelamos ao respeito para bem estar de todos nós.





Ponto-Final.net