FACEBOOK vs WHATSAPP

FACEBOOK vs WHATSAPP
Seja o que for; digam o que disserem! A NOSSA SALVAÇÃO

Entre boatos e mentiras; conjecturas e realidades, o Facebook/ WhatSapp são a nossa tábua de salvação. No seu conjunto as redes sociais se transformaram na maior Tribuna de reivindicação de todos, independentemente do status social, político-partidário; religioso; intelectual; uma ferramenta preciosa de informação, comunicação e até de troca de conhecimentos científicos; um traço de união entre irmãos mesmo sendo virtuais; uma arma de certo modo poderosa na luta contra a tirania.

Falando de Angola, as regras do jogo ficaram alteradas entre opressores e oprimidos, quando meio mundo de angolanos desprezou as publicações e programas nos meios de comunicação tradicionais (TPA; RNA; JA) e virou as atenções para as redes sociais. Através do GRECIMA, o MPLA tentou bloquear o acesso e assim travar a ascensão fulgurante do fenómeno Redes Sociais. Mas, como foi pelos maus motivos e objectivos, bateu na rocha e, hoje as redes sociais no conceito da verdadeira Aldeia Global, vão libertando as mentes até daqueles cidadãos da aldeia mais longínqua que possuem seus analógico-digitais vão respirando os ares da libertação. Aqueles que viviam nas trevas, fezem-se por si só cidadãos e já não se deixam manipular tão facilmente porque já sabem questionar, mesmo sem terem ido à escola.

Particularmente: “O que seriam os angolanos, a oposição amaldiçoada, se em boa hora não surgissem no contexto político angolano o FACEBOOK e WHATSAPP?” ... esta questão ecoa reclamando Vossa/ Nossa reflexão, despida de todos os quejandos e preconceitos!

Somos todos angolanos e ponto final. O MPLA e todos os presunçosos intelectuais, convencidos de donos da verdade e que pensam que tudo o que dizem deve ser acatado e cumprido, devem saber disso: “SOMOS TODOS ANGOLANOS; NINGUÉM É REFRATÁRIO OU PÁRIA. QUE FIQUE BEM CLARO!” É graças as Redes Sociais que o Regime do MPLA vergou e é forçado a fazer concessões; graças as Redes Sociais, a oposição conseguiu fazer-se presente e passar sua mensagem. Fora disso, Angola seria sem arreios, nem rodeios, a verdadeira República das bananas. Muito caminho ainda por andar, muitos obstáculos a transpor, mas hoje as vozes dos soberanos já rompem montanhas e se fazem ouvir com muito mais acutilância lá do outro lado.





Por : Felix Miranda
MNANGAGWA PROMETE DEVOLVER AS FAZENDAS EXPROPRIADAS

Mnangagwa promete devolver as fazendas expropriadas
Mnangagwa promete devolver as fazendas expropriadas



Mais de 60 mil pessoas assistiram ontem de manhã no Estado Nacional de Harare à tomada de posse de Emersson Mnangagwa no cargo de novo Presidente do Zimbabwe, que irá exercer interinamente até à realização das eleições previstas para Setembro do próximo ano.

Estádio de Harare acolheu milhares de pessoas para a cerimónia de posse de Mnangagwa, que deveria inicialmente decorrer na sede do Parlamento

Inicialmente prevista para decorrer na sede do Parlamento, numa cerimónia mais simples, a verdade é que as sucessivas manifestações populares obrigaram as autoridades zimbabweanas a trabalhar arduamente nas últimas 24 horas para que o maior número possível de pessoas pudesse assistir ao vivo à tomada de posse do novo Presidente.

“Eu, Emmerson Dambudzo Mnangagwa, juro pela minha honra defender a Constituição e as leis do Zimbabwe para garantir e promover a prosperidade do povo do meu país. Assim Deus me ajude”. Estas foram as palavras que proferiu durante o juramento solene perante o Presidente do Tribunal Constitucional, Luke Malaba, e das altas chefias das forças de defesa e segurança.

Um pouco por toda a cidade a população seguiu em directo a cerimónia através de telas gigantes estrategicamente colocadas e perante incontidas manifestações de entusiasmo.

No seu discurso de posse, Mnangagwa referiu-se directamente a Robert Mugabe, tratando-o por “pai” e “mentor”, agradecendo tudo o que ele fez pelo Zimbabwe e pedindo ao povo para que respeite o contributo que ele deu e “poderá continuar a dar” para a melhoria do país.

“Temos de respeitar o papel que ele desempenhou na luta pela nossa independência. Foram momentos muito difíceis, durante os quais ele mostrou toda a sua capacidade de liderança. Por isso merece o nosso respeito”, sublinhou. Noutra parte da sua intervenção, Emmerson Mnangagwa disse que vai ser o presidente de todos os zimbabweanos e elegeu a agricultura como o motor para a recuperação económica do país, prometendo devolver aos legítimos donos todas as fazendas que lhes foram expropriadas.

Acompanhado pela esposa, Auxilia, Emmerson Mnangagwa cumpriu todo o ritual que envolve uma cerimónia de tomada de posse de um novo presidente, desta vez testemunhada por poucos responsáveis internacionais, com excepção para os chefes de Estado de países vizinhos como a Namíbia, Zâmbia e Botswana, entre outros. Muito notada foi a ausência do Presidente Jacob Zuma, não só por ser o Presidente da África do Sul (vizinho do Zimbabwe) como também porque é o actual líder em exercício da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC).

Apesar nessa decisão poderá estar a forma como Mnangagwa chegou ao poder. Que, quer se queira ou não, a verdade é que a saída de cena de Robert Mugabe, sobretudo a forma como ela foi desenhada, ainda divide algumas opiniões e carece de maiores pormenorizações.

Ainda ontem, as autoridades zimbabweanas ficaram embaraçadas com o facto de Robert Mugabe ter estado ausente da cerimónia de tomada de posse do seu sucessor, tendo sido apresentada uma “explicação” que a poucos convenceu e que serviu para alimentar as dúvidas sobre se a transição foi tão consensual como se quer fazer crer.

“Robert Mugabe não veio porque está a descansar”, disse um proeminente membro da ZANU-PF quando interrogado por um jornalista da cadeia de televisão CNN da razão pela qual o antigo presidente não esteve no Estádio Nacional de Harare. Ainda ontem corriam também rumores em Harare de que antigos ministros de Robert Mugabe, como Savious Kasekwere e Ignatitus Chombo, estariam a usar as redes sociais para manifestar a sua solidariedade para com Grace Mugabe, “disponibilizando-se” para aquilo que “for necessário”.

Este clima de suspeição, que deverá demorar algum tempo a desanuviar, será um dos maiores problemas internos com que o novo presidente se irá deparar para arrumar o seu partido e para reposicionar as peças de modo a que sejam apresentadas devidamente ordenadas no próximo congresso extraordinário, marcado para meio de Dezembro. Um outro problema interno que o novo presidente terá que resolver é o de travar algum ímpeto que se apossou de certos membros da ZANU-PF desejosos de condenar, mesmo antes que a justiça o tenho feito, alguns dos que acompanharam mais de perto Robert Mugabe.

Nesta altura, a ZANU-PF e o país precisam de estar unidos para fazer frente ao desafio comum de recuperação económica sem o que o capital de esperança e o crédito político que o novo presidente agora conseguiu se esgote sem qualquer benefício prático para o país.

Essa união poderá já ser testada este fim de semana quando a ZANU-PF se reunir para escolher as pessoas que vão integrar o governo dirigido por Emmerson Mnangagwa, que terá de apresentar em tempo recorde um programa para ser aprovado no Parlamento.

Ao mesmo tempo, o partido do governo terá quer preparar o congresso extraordinário que decorrerá dentro de duas semanas e que alinhará os seus principais responsáveis para participarem nas eleições de 2018.

Oposição do Zimbabwe dá um bom exemplo de cidadania

Um bom exemplo de unidade a favor do interesse nacional foi dado pelo líder do MDC, principal partido da oposição, Morgan Tsvangirai, que regressou ao Zimbabwe proveniente da África do Sul depois que os militares decretaram a prisão domiciliária de Robert Mugabe.

Tsvangirai dirigiu uma forte delegação do seu partido que fez questão de assistir à cerimónia de tomada de posse de Emmerson Mnangagwa, tendo no final desejado felicidades ao novo presidente mas na missão de preparar as próximas eleições. “O senhor Mnangagwa representa aquilo que Mugabe sempre fez. É um homem do regime, mas desejo-lhe sucesso na missão de preparar umas eleições livres e que possam ter um resultado transparente”, disse Tsvangirai à imprensa internacional presente no Estádio Nacional de Harare. Tsvangirai aplaudiu o discurso de Mnangagwa, mas sublinhou que para o pôr em prática o novo presidente terá que fazer aquilo que nunca fez: “trabalhar ao lado do povo”.
COMUNICADO DA JURA / REFORÇO & COOPERAÇÃO

COMUNICADO

No quadro do reforço de cooperação e Intercâmbio com as Instituições Públicas, uma Delegação da JURA, chefiada pelo seu Secretário-Geral o Dr. Alicerces Mango, efectua nesta sexta-feira, dia 08/12, a partir das 8h00, uma visita de constatação dos serviços, nas mais diversas Instituições situadas no Município de Viana.

JURA - PÁTRIA;
JURA - CIÊNCIA e PROGRESSO.

Luanda, aos 07 de Dezembro de 2017
O Secretário de Comunicação e Marketing.

Fonte: Secretariado Nacional para a Comunicação e Marketing da JURA.
CAMARADA JOÃO LOURENÇO, AQUI NO KUANZA-SUL ESTA DE MAIS

CAMARADA JOÃO LOURENÇO, AQUI NO KUANZA-SUL ESTA DE MAIS, VEM NOS SOCORRER.
.
Denúncias graves contra o administrador municipal do Amboím ( Francisco Mateus ) dão conta do sumiço de um lote de medicamentos fornecidos pelo empresário Bento Cangamba ao hospital municipal na cidade da gabela, segunda a denuncia os mesmos tiveram destino a província do kuando kubango, cidade de Menongue onde o administrador tem uma clínica, também consta que a ambulância havia sumido, com o pretexto de uma possível manutenção; uma vez mas solicitamos a inspeção do ministério da saúde na província e a fiscalização do governo provincial para apurar e caso seja verdade para punir o suspeito
 | 
Google Translator:      
+++ HOT NEWS +++ HOT NEWS +++ HOT NEWS +++
POLÍTICA
OPINIÃO
SOCIEDADE
ACTUALIDADE
Agora aturam os da liga
17 Dezembro
Discurso de João Lourenço trouxe desafios e interrogações
17 Dezembro
"Corrigir o que está mal” é desejo de todos os angolanos -- Por Raul Danda
16 Dezembro
Huambo : "Mais um Empresário do Huambo vê o seu negócio usurpado pela mulher do Governador kussumua
15 Dezembro
No Huambo esta quente: "De Obama / para Mobuto
15 Dezembro
A Polícia não quer continuar a ser o bode expiatório dos fracassos , diz Reginaldo Silva
16 Dezembro
José Eduardo Dos Santos & Filha um sintonia perfeita na hora do baile ao João Lourenço
16 Dezembro
BNA revela existência de USD 30 Bilhões do país no exterior
14 Dezembro
Comunicado de repúdio sobre as mortes de Cafunfo
14 Dezembro
Agora é que estamos fodidos " Até ( Esse Wi ) investigar casos de corrupção ?
15 Dezembro
Quando compras o AMG com dinheiro do roubo é assim !
15 Dezembro
Comunicado de imprensa " Rede Médiateca de Angola "
12 Dezembro
João Lourenço vingança implacável , liberalismo consciente , hipocrisia ou encenação política
11 Dezembro
Causas profundas da vitória do MPLA nos processos eleitorais paralelo as fraudes eleitorais " Um aviso a UNITA , oposição e sociedade civil
15 Dezembro
A camarada Bernarda Gueleia Vieira, na foto, foi eleita ao cargo de secretária municipal do Balombo da OMA
14 Dezembro
Adriano Mendes de Carvalho eleito 1.º secretário do Comité Provincial do MPLA
11 Dezembro
Integra do discurso do presidente Abel Chivukuvuku em Moçambique por ocasião da abertura do II congresso do MDM
8 Dezembro
"E agora JES? E agora Cda Paulo Kassoma? E agora Cda Dino Matross? E Agora Gen Kopelipa?
14 Dezembro
Angola : Não estarão os esquadrões da morte falhando o seu alvo ?
12 Dezembro
BUILD ANGOLA *A maior burla no ramo imobiliários*
10 Dezembro
Lourenço, Mugabe, Lukoki e a Bicefalia
6 Dezembro
Isabel dos Santos levantou 238 milhões do BPI antes de ver conta congelada
14 Dezembro
A Culpa é dos chineses ? As fezes são optimas como adubo
11 Dezembro
UNITA : Nota funebre gabinete do presidente pelo falecimento do Dr. Carlos de Oliveira Fontoura
8 Dezembro
 
Impressum